PRAGAS


Um ponto de vista diferente… by ffnrs
Maio 6, 2009, 10:34 pm
Filed under: Evolução do Projecto

Vimos os nossos pulgões através duma lupa binocular e achámos interessante, por isso não pudemos deixar de partilhar as imagens convosco. Deu-nos algum trabalho fotografar as oculares mas achamos que esta imagem irão conseguir percebê-la.img228



Formigas protegem afídeos by fabiojuniovf
Maio 4, 2009, 6:33 pm
Filed under: Vídeos

Felizmente nós não temos destas formigas no nosso viveiro!

Resumidamente, as formigas estão a proteger os pulgões de predadores, como as joaninhas, e a estimular a sua alimentação. Fazem-no porque, quando os afídeos se alimentam, estes segregam um líquido do qual as formigas se alimentam… espertas! No fundo, as formigas estão a apascentar os pulgões.



Vespas matam pulgões by fabiojuniovf
Maio 4, 2009, 6:22 pm
Filed under: Vídeos

Para provar que os pulgões nem sempre são os “maus da história”, fiquem com este vídeo da National Geographic, no qual podemos ver o parasitismo das vespas sobre uma determinada espécie de afídeos.



Abelhas, “Apis mellifera” by fabiojuniovf
Abril 28, 2009, 3:29 pm
Filed under: Pragas

abelha1

Apesar de hostis, as abelhas há muito cativaram o homem, devido ao seu mel muito apreciado. Este produto acabou por se tornar tão desejado pelo que a sua produção modernizou-se e tornou-se global.

De modo a tornar a rentabilizar a produção, no Brasil, cruzaram-se comuns espécies europeias com abelhas rainhas africanas.

Na primeira experiencia deste cruzamento, as abelhas foram acidentalmente libertadas, deixando a espécie de abelha mais perigosa do mundo espalhar-se pelo país todo. Os meios de comunicação social, nessa altura, fizeram deste acidente uma noticia mundial, exagerando um pouco a verdade, mas dando fama às “abelhas assassinas”, nome dado na altura.

Consideradas uma praga da apicultura, visou-se eliminar esta espécie com insecticida espalhado pelos campos e matas, mas tal causaria graves problemas ecológicos. Muitos apicultores desistiram da produção, pois as técnicas de criação eram inadequadas para a nova espécie de abelhas, e o mau uso de colmeias aumentou o número de ataques e acidentes.

Contudo, as técnicas dos apicultores evoluíram, os apicultores profissionalizaram-se e adaptaram as suas técnicas a estas novas abelhas. A colaboração entre pesquisadores e criadores ajudou neste factor, e com a evolução do tempo, o Brasil adaptou-se a estas abelhas, e passou de 28º maior produtor de mel para 5º. A agressividade, antes considerada um perigo para a sociedade, agora é um benefício, pois evita roubos de colmeias. A resistência das abelhas a doenças e vírus é outra consequência, que com o tempo, passou a benefício.

Assim sendo, é de salientar este caso em que não houve propriamente a extinção da praga, mas uma adaptação à espécie, com proveito para todos.



Mais pulgões… by fabiojuniovf
Abril 28, 2009, 3:22 pm
Filed under: Evolução do Projecto

foto0117Apesar da praga de pulgões já se estar a desenvolver, ontem decidimos recolher mais alguns para colocar no terrário. Por isso, voltámos à árvore com pulgões e recolhemos alguns ramos, sobretudo aqueles com flor, onde existem mais insectos. Tal como da outra vez, retirámo-los com uma espátula para caixas de Petri.

Para além disso, começámos a fazer a contagem dos pulgões presentes em cada feijoeiro, aos quais somamos os das caixas de Petri. Contudo, a contagem não foi completa e decidimos que voltaríamos a contá-los noutro dia.

E, já agora, que fique registado que neste dia também confirmámos que a árvore da qual tirámos os pulgões é um sabugueiro.

foto0115



Finalmente…pulgões!!! by ffnrs
Abril 21, 2009, 4:50 pm
Filed under: Evolução do Projecto

Não havia forma dos nossos feijoeiros ganharem pulgões por isso optámos por encontrar uma outra planta que, de momento, se encontrasse a ser atacada por pulgão preto. Também isso estava a ser difícil, até que hoje conseguimos, nos jardins da escola. Cortámos alguns ramos e trouxemo-los para a arrecadaçao, onde, com ajuda de uma espátula retirámo-los cuidadosamente e os pusemos numa caixa de Petri. A seguir, translocámo-los para as folhas dos feijoeiros.

fotos-0802

 

 

 

 

 

 

 fotos-0810



Cobertura do terrário by ffnrs
Abril 21, 2009, 4:15 pm
Filed under: Evolução do Projecto

Para impedirmos as joaninhas e os pulgões de fugirem do nosso terrário, necessitaríamos de o cobrir com um material transparente para que fosse possível a entrada de luz solar e, ao mesmo tempo, permeável pois senão seria imprescindível trocas gasosas entre o nosso micro-ecossistema e o meio. Por outro lado, tais orifícios não poderiam permitir a entrada/saída de animais para que os nossos resultados finais não fossem corrompidos. Para tal, fixámos a uma estrutura rectangular de madeira uma rede mosquiteira que havíamos comprado.

fotos-07541

 

 

 

 

 

 

 

 

fotos-07921